Modifique seu cérebro aprendendo um instrumento musical.

A filha empolgada vai contar a novidade aos pais: 

– “Olha que bacana!….a minha escola ofereceu aulas de música e fizeram uma aula demonstrativa usando um instrumento, eu participei e adorei, quero continuar”……

O que a jovem desconhece é que aprender a tocar um instrumento não só lhe trará bem estar, alegria e redução do estresse, como também enormes benefícios ao cérebro.

Em relação à aprendizagem de um novo instrumento ocorre um grande cabedal de atividades ao mesmo tempo no cérebro, outras funções cognitivas, – em áreas não diretamente relacionadas – são impactadas como efeito direto deste aprendizado.

Nosso cérebro é um músculo, quanto mais ativo ele estiver mais irá se educar. Quando aprendemos um novo instrumento estimulamos várias áreas e funções cognitivas, além disso este aumentamos a produção dos hormônios relacionados à felicidade e ao vínculo afetivo, tais como: Serotonina, Endorfina e Ocitocina.

Tocar música é sinônimo de fazer ginástica com o corpo todo, conheça as vantagens desta aprendizagem:

  1. Amplia a capacidade de gerenciamento espaço-temporal.
  2. Aumenta a capacidade de memorização. 
  3. Melhora o senso de responsabilidade. 
  4. Cria novas habilidades para trabalho em equipe.
  5. Desenvolve a perseverança.
  6. Estimula a rapidez de raciocínio. 
  7. Estimula habilidades em gestão de tempo. 
  8. Melhora a coordenação motora.
  9. Melhora as habilidades matemáticas.
  10. Qualifica a organização pessoal e cognitiva.

Neurocientistas verificaram que ao aprender um instrumento novo o cérebro se ativa nos dois hemisférios cerebrais ao mesmo tempo, estimulando o córtex motor, visual, e auditório, além do giro do cíngulo, Broca e Wernicke – mesmas áreas estimuladas na aquisição de um novo idioma.

A arte de tocar um instrumento musical requer coordenação entre os olhos e as mãos, ao ler as notas musicais o subconsciente converte aquela nota em movimento específico, novos padrões vão surgindo e sendo reforçados constantemente.

Os neurônios se comunicam uns com os outros e para ocorrer esta comunicação novas sinapses; transmissões de impulsos nervosos de uma célula para outra; são necessárias.

De acordo com um estudo publicado no Psychology of Music (Psicologia da Música), paper científico publicado e coordenado por Alexandra Lamont (Keele University) desde 1973: ““Crianças expostas a um programa de ensino de música envolvendo ritmo, tons, e habilidades práticas, apresentam performance cognitiva muito superior em relação a outras crianças sem treinamento”.

A Ginástica do cérebro utiliza conteúdos lúdicos, leves, encantadores e divertidos, tais como: soroban, enigmas, jogos modernos, exercícios coloridos e inteligentes, tangram como foco principal. Ao realizar os exercícios semanalmente o aluno avança cognitivamente e turbina o cérebro de maneira positiva e veloz.

Por: Fabiana Cerato - 20 de novembro de 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *